PROVÉRBIOS PORTUGUESES E BRASILEIROS

Indice  Bibliografia

Q1  Q2  Q3  Q4  Q5  Q6  Q7  Q8  Q9  Q10  Q11  Q12  Q13  Q14  Q15

Página dos Provérbios

Q8

Quem guarda com fome, o gato o come.

Quem guarda, encontra.

Quem guarda o que não presta, tem tudo de que precisa.

Quem guarda retalhos, tem seda.

Quem guerreia por pão de centeio, ou a fome é muita, ou a vergonha é pouca.

Quem há as feitas, há as suspeitas.

Quem há de gabar o noivo, senão a noiva?

Quem há de ser servido, há de ser sofrido.

Quem herda, não furta.

Quem hesita entre duas igrejas, recolhe sem ter rezado.

Quem hoje cai, amanhã se levanta.

Quem hoje sorri, amanhã chorará.

Quem honra seus pais, a si mesmo se honra.

Quem honras faz, cortesias merece.

Quem houver medo, esconda-se.

Quem imagina, cria medo.

Quem embica e não cai, caminho adianta.

Quem inimigos poupa, às suas mãos morre.

Quem injuria, está pronto a perdoar.

Quem já deu, não tem para dar.

Quem já viu, não se admira, e quem nunca viu, não sabe o que é.

Quem joga, não guarda cabras.

Quem joga, não olha cabras.

Quem joga, não tem mal.

Quem jogou, pediu e furtou; quem jogar, pedirá e furtará.

Quem jogou, pediu, furtou, jogará, pedirá, furtará.

Quem julga, confronta.

Quem julga, será julgado.

Quem junta para si, poupa para os outros.

Quem jura é quem mais mente.

Quem jura, mente.

Quem lá vai, lá vai.

Quem labora com cana, aprende a chupar.

Quem laço me armou, nele caiu.

Quem ladeira acima corre, por sua vontade morre.

Quem lágrimas escuta, está perto de perdoar.

Quem lança em rosto o que deu, parece que o pede.

Quem lava a cabeça a mouro, perde tempo e sabão.

Quem lava a cabeça do asno, perde sabão e trabalho.

Quem lava focinho a burro preto, perde sabão e tempo.

Quem lavra e cria, ouro fia.

Quem lei estabelece, guardá-la deve.

Quem ler, leia para saber.

Quem ler, leia para saber; quem souber, saiba para obrar.

Quem leva bom presente, bate rijo à porta.

Quem leva e traz, não deixa paz.

Quem leva o baio, não deixa a sela.

Quem leva um saco para dar, leva outro para trazer.

Quem leve vai, leve vem.

Quem levou o tiro, que conte os buracos.

Quem lhe comeu a carne, roa-lhe o osso.

Quem lhe doer o dente, vá à casa do barbeiro.

Quem lida com mel, sempre lambe os dedos.

Quem lida com o burro, é que o sabe albardar.

Quem língua tem, a Roma vai e de Roma vem.

Quem liso anda, liso acaba.

Quem liso joga, liso fica.

Quem longe vai casar, ou vai enganado, ou quer enganar.

Quem longe vai casar, ou vai enganado, ou vai enganar.

Quem longe vai fazer a boda, pelo caminho larga-a toda.

Quem má a faz, nela jaz.

Quem má boca tem, má bostela faz.

Quem má cama faz, nela jaz.

Quem má cama faz, nela se deita.

Quem má companhia deseja ter, corpo e alma quer perder.

Quem má demanda tem, a brados a mete.

Quem mãe tem na vila, sete vezes se amortece ao dia.

Quem maior orelha tem, mais lhe cabe.

Quem mais alto sobe, maior queda dá.

Quem mais alto subir, de mais alto vai cair.

Quem mais ama, mais madruga.

Quem mais baixo voa, menor tombo leva.

Quem mais canta, mais se diverte.

Quem mais cedo anda, mais depressa chega.

Quem mais come, menos paga.

Quem mais cura, mais dura.

Quem mais dá, mais amigo é.

Quem mais do que o enfermo deseja a saúde?

Quem mais dorme, menos vive.

Quem mais duvida, mais aprende.

Quem mais é e mais pode, mais deve.

Quem mais faz, menos merece.

Quem mais grita, não é quem tem mais razão.

Quem mais jura, mais mente.

Quem mais me dá, mais meu amigo é.

Quem mais mete na arca, mais saca.

Quem mais mete na barca, mais saca.

Quem mais não pode, com sua mulher dorme.

Quem mais não pode, de sua mazela morre.

Quem mais parvo, mais confiado.

Quem mais perto do fogo está, mais se esquenta.

Quem mais perto está do fogo, mais depressa se aquece.

Quem mais perto está do fogo, mais se aquenta.

Quem mais pode, mais deve.

Quem mais promete, menos cumpre.

Quem mais quer que bem, a mal vem.

Quem mais quer que o que tem, a mal vem.

Quem mais sabe, mais aprende.

Quem mais sabe, menos afirma.

Quem mais se afoga é quem sabe nadar.

Quem mais se cura, mais dura.

Quem mais se humilha, mais se exalta.

Quem mais sobe, de mais alto cai.

Quem mais tem, aumenta seu bem.

Quem mais tem e mais quer, com o seu mal morre.

Quem mais tem, mais deseja.

Quem mais tem, mais pode.

Quem mais tem, mais quer.

Quem mais tem na vila, sete vezes amortece na vida.

Quem mais trabalha, menos ganha.

Quem mais vive, mais aprende.

Quem mais vive, mais sabe.

Quem mais vive, mais vê.

Quem mal a faz, nela jaz.

Quem mal adquire para bem gastar, não é de louvar.

Quem mal anda, mal acaba.

Quem mal aos outros deseja, a si lhe chega.

Quem mal cacha, mal acha.

Quem mal cacha, pior acha.

Quem mal cai, mal jaz.

Quem mal canta, bem lhe soa.

Quem mal canta, bem reza.

Quem mal começa, mal acaba.

Quem mal cospe, duas vezes se alimpa.

Quem mal cospe, duas vezes se limpa.

Quem mal cospe, em si cospe.

Quem mal diz, mal ouve.

Quem mal enforna, terá pão torto.

Quem mal enforna, tira a pá torta.

Quem mal enforna, tira os pães tortos.

Quem mal entende, mal conta.

Quem mal fala, mal canta.

Quem mal fala, pior ouve.

Quem mal fala, sua língua suja.

Quem mal faz, mal espere.

Quem mal faz, para si o faz.

Quem mal faz, por mal espere.

Quem mal faz, por pior espere.

Quem mal lavra, pouco ceifa.

Quem mal marida, sempre tem que diga.

Quem mal não julga, mal não cuida.

Quem mal não tem, mal não cuida.

Quem mal não usa, mal não cuida.

Quem mal não usa, mal não pensa.

Quem mal ouve, mal responde.

Quem mal padece, mal merece.

Quem mal padece, mal parece.

Quem mal paga, paga duas vezes.

Quem mal parece, de mal padece.

Quem mal procura, mal encontra.

Quem mal quiser cear, à noite o vá buscar.

Quem mal vai contando, não pode ir bem orando.

Quem mal vive, mal acaba.

Quem mal vive, mal morre.

Quem mal vive, por onde peca, por aí se castiga.

Quem malícia não tem, malícia não teme.

Quem maltrata um animal, não é de bom natural.

Quem manda é a cabeça, mas que a leva para onde quer é o pescoço.

Quem manda, manda bem.

Quem manga, também morre.

Quem manso anda, não cansa e vai longe.

Quem más fadas não acha, das boas se enfada.

Quem más fadas não acha, de boas se enfada.

Quem más manhas há, tarde ou nunca as perderá.

Quem más manhas há, tarde ou nunca se perderá.

Quem más manhas tem no berço, ou as perde tarde ou nunca.

Quem mata a alvéloa, sabe mais do que ela.

Quem mata a cobra, corta-lhe a cabeça.

Quem mata a cobra, mostra o pau.

Quem me avisa, meu amigo é.

Quem me dá um osso, não me quer morto.

Quem me dá um ovo, não me quer morto.

Quem me dera ser mosca.

Quem me empresta, ajuda-me a viver.

Quem me faz bem, ensina-me a ser bom.

Quem me honra mais do que suelle, algo me duelle.

Quem me manda ir a bordo de tal xaveco?

Quem me mente, não me engana.

Quem me molha, não me enxuga.

Quem me namora pelo fato, leve o diabo o contrato.

Quem me quer bem, diz-me do que sabe e dá-me do que tem.

Quem me quer bem, diz-me o que sabe e dá-me o que tem.

Quem me repreende, do mal me defende.

Quem melhor dita tiver, a Deus deve agradecer.

Quem melhor sabe, que a reze.

Quem melhor serve, pior guardião há.

Quem menos merece, mais deseja.

Quem menos pode, é que paga o bode.

Quem menos sabe do sapato é a sola.

Quem mente, arrede testemunhas.

Quem mente, não diz o que sente.

Quem mente, não vem de boa gente.

Quem mente, nunca acerta.

Quem mente, precisa ter boa memória.

Quem mente três vezes, não é acreditado uma.

Quem mentiu e jurou, não me enganou.

Quem mete o nariz em terreno alheio, se não foge a tempo, apanha em cheio.

Quem meu filho beija, minha boca adoça.

Quem meus filhos beija, minha boca adoça.

Quem mexe no mel, sempre se lambe.

Quem mexe o angu, sabe a dureza que ele tem.

Quem mói, é o que está na azenha, e não o que vai e vem.

Quem monta no burro, agüenta o trote.

Quem monta sem espora, é asno de nora.

Quem mora na aldeia, conhece os caboclos.

Quem morde e arrebunha, não tem força nenhuma.

Quem morre, more; quem fica, sempre lambica.

Quem morre, morreu. Quem merca laranjas?

Quem morre na véspera é peru.

Quem morre na véspera, é porco ou peru.

Quem morre, não morde mais.

Quem morre por gosto, se acaba por seu regalo.

Quem morre por seu gosto, acaba por seu regalo.

Quem morre por seu gosto, acaba por sua vontade.

Quem morre por sua vontade, acaba por seu gosto.

Quem morre porque quer, não se lhe reze por alma.

Quem morte alheia espera, a sua lhe chega.

Quem morte alheia espera, longa soga tira.

Quem muda o fito, com mal anda.

Quem muda os feitos, com mal anda.

Quem mudou, nunca melhorou.

Quem muita manteiga tem, assa-a na ponta do espeto.

Quem muita panela prova, nalguma se há de escaldar.

Quem muitas estacas mete, alguma lhe pega.

G